segunda-feira, 18 de Janeiro de 2010

A Importância do Educador Social

Actualmente deparamo-nos com uma época de intensa competitividade, onde a atenção dos estados apenas se foca em interesses económicos e por conseguinte, observa-se uma desresponsabilização sobre a questão social, tal como podemos analisar no nosso dia-a-dia e pelo mundo, como é exemplo do agravamento da pobreza, a crescente exploração, a descriminação social, entre muitos outros.
Perante este panorama, a Educação Social aparece como uma nova estratégia, como uma forma de promoção comunitária, pois torna-se importante desenvolver iniciativas que fomentem o desenvolvimento humano, a participação e a transformação social. Através da articulação entre a área da educação e do trabalho social, o educador social faz uma eficaz intervenção junto da sua população-alvo, na medida em que pretende ir ao encontro das necessidades, interesses e potencialidades do grupo com que está a desempenhar o se trabalho, com uma acção sócio-pedagógica que impulsione a consciencialização dos indivíduos, motivando-os a participarem activamente para o seu próprio desenvolvimento.
O profissional trabalha com e para todos, sendo este um verdadeiro “técnico das relações e comunicações”, ajudando os indivíduos a ganharem autoconfiança e competências para poderem enfrentar de uma outra maneira os problemas com que se deparam, autonomizando-os. O educador social pretende que os indivíduos abandonem a solidão e o isolamento, criando e organizando espaços para o convívio e interacção com os outros (J.Arco, comunicação pessoal, Outubro 23, 2007).
Conforme Santos (2007), este técnico apresenta-se como um dinamizador e animador de grupo, capaz de lidar com afectos e emoções. Desta forma, através de um papel dinâmico e participativo, também se pode verificar a sua capacidade para cuidar das feridas sociais e provocar a mudança, melhorando a qualidade de vida do grupo em questão.
A profissão de educador social é bastante polivalente, visto que o técnico pode intervir com as várias faixas etárias, como crianças, jovens, adultos e idosos e em diversos contextos como o social, cultural, educativo e económico. Por exemplo, Câmaras Municipais, Juntas de Freguesia, Centros Comunitários, Associações, Centros Novas Oportunidades, Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS’s), entre outras entidades (Conselho Nacional de Educadores Sociais, 2008, ¶ 4) .
Desta forma, o educador social com as suas práticas sócio-pedagógicas e o seu optimismo, espírito solidário e criativo, ambiciona dar mais ênfase à vida dos indivíduos com quem intervém.
Um texto de Daniela Luz (educadora social)

1 comentário:

Ruben Amorim disse...

Gostei da primeira abordagem do conjunto de boas e acertadas palavras acerca da Educação Social e da actividade profissional do (a) Educador(a) Social.

De facto vive-se um clima de verdadeira instabilidade económico-finaceira e política um pouco por toda a europa. A globalização é rica em desafios, contudo, é necessário autonomizar e aumentar as competências aos indíviduos para que os próprios sejam capazes de acompanhar estes mesmos desafios.

Por globalização subentende-se a inclusão de todas as diversidades num único espaço. Concomintantemente, penso que é incomensurável a importância em que todos os cidadãos e cidadãs estejam em pé de igualdade, não ao nível financeiro, mas sim ao nível social, educativo e cultural.

Como tal o (a) Educador (a) Social é um agente que segue de perto e atentamente, com capacidade altamente reflexiva e que pode e deve potenciar o individuo no aumento da sua auto-estima, auto-confiança e sobretudo que o ajude a motivar-se pois a motivação é algo que funciona quando vem de desntro, intrinsecamente.

Perante este discurso penso que o desafio é grande. Estes profissionais aprendem em cada intervenção ou em cada situação do dia-a-dia!
Todos os momentos são verdadeiros actos de aprendizagem!!!

DDesejo o maior sucesso a todos os Educadores e Educadoras Sociais que ambicionam aumentar o reconhecimento da nossa profissão.

Enquanto Educador Social resta-me lutar para o desenvolvimento da nossa querida profissao.

Um bem-haja...