quarta-feira, 29 de Setembro de 2010

A Associação Âncora, Centro Comunitário de Santa Luzia, tem o prazer de vos convidar a participar no I Seminário de Gerontologia a realizar dia 2 de Outubro de 2010, na Biblioteca Municipal Álvaro de Campos, em Tavira.

Esta iniciativa insere-se no âmbito do projecto "Do outro lado: a sáude mental dos mais velhos", um projecto apoioado pelo Alto Comissariado da Saúde.


Segue em anexo o folheto com o programa final, e respectiva ficha de inscrição.


Para mais informações contacte-nos: 281 381 978 / 91 762 66 08 ou através do e-mail: dooutrolado.projecto@gmail.com

--
Cumprimentos,
Nilza Macedo
(Âncora - Associação Centro Comunitário Santa Luzia)

Oferta de Emprego

Educador Social (M/F)

Empresa: Âncora - Associação Centro Comunitário de Santa Luzia Data Publicação: 28-09-2010


Associação Comunitária no concelho de Tavira pretende contratar Educador Social


Requisitos: Escolaridade: Licenciatura em Educação Social

Experiência Profissional: Não especificada

Idade: Não especificada

quarta-feira, 8 de Setembro de 2010

O Nascer do Sol em Moçambique

Porque não podia deixar de partilhar toda esta rica experiência e a importância do que aprendemos e podemos fazer com o nosso curso... e com o coração!
Alto da Manga... terra batida, meninos descalços a brincar na rua, muita gente a pé pela estrada... um povo muito pobre, mas uma gente alegre, humilde, descontraída, que recebem os seus hospedes de braços e coração abertos!
A fruta, o cheiro a fumo, tradicões, os rituais...a música que trazem naturalmente no corpo, a alegria, as crianças, os sorrisos... o intenso verde, o brilhante nascer do sol, a força do ceu estrelado, o luar em Mocambique... ja me começo a habituar!Mas há também a parte que nos revolta a alma e nos faz sentir frustrados... os buracos da estrada repletos de esgotos e lixo, as barrigas inchadas de fome, os ratos que roem tudo, a falta de transportes, a corrupção do Estado, a roupa e materiais que vêm com a melhor das intencões (ajudas internacionais) e que os “grandes” absorvem e vão vender no mercado... o não direito à educacao, a falta de acesso à saude...HIV, pais negligentes...!
Efectivamente, aqui, o nosso POUCO aqui é MUITO e faz toda a diferença!
Dificil descrever este intenso primeiro mês e meio, que passou tão rápido mas que ao mesmo tempo me faz sentir como já fizesse parte desta terra...
Vim (juntamente com mais dois colegas, que estiveram comigo neste primeiro mês e já partiram rumo a Portugal devido aos seus trabalhos), através das Irmãs Franciscanas Missionárias de Maria (FMM) de Portugal. Conforme a nossa área, interesses e necessidades da população Moçambicana, enviaram-nos para a Beira, onde têm uma das congragações e prestam o seu serviço missionário. Com um tipo de trabalho muito bem organizado, fizeram-nos ver quais as reais dificuldades desta zona ( que são quase as mesmas que em todo o Moçambique).
Muita informação, muitas emoções à flor da pele... aqui fui verdadeiramente posta à prova... todos os dias aprendo imenso e um pouco de tudo... desde gestão, agricultura, jardinagem, costura, enfermagem... Com tanta pobreza, tantas dificuldades e tanta tanta gente, é necessário concentrarmo-nos em determinados pontos de forma a beneficiar de uma melhor a comunidade. Mas beneficiar como??
Prestar algumas ferramentas a este povo, para que se possam autonomizar ... essa sim, é a maior dádiva... Neste tipo de projectos é necessário ter bastante atenção, pois facilmente se pioram as situações criando dependência.
Muita ansia por ajudar, a sentir uma grande responsabilidade... mas pouco a pouco, o projecto começa a ganhar consistência...
Neste momento estamos a iniciar o desenvolvimento do projecto “BOLUKA KUA ZUA – O Nascer do SOL” para com os principais serviços da comunidade (Centro de Saúde, Jardim Infantil, Internato, Comunidades Isoladas), com o objectivo principal de promover a autonomia, criar novas formas de sustentabilidade ...
Presto o meu serviço numa das valências do Centro de Saúde da Manga- Nhaconjo, no Gabinete Pscio-social, espaço destinado para o acompanhamento psicológico de portadores de HIV. Neste momento, encontro-me a desenvolver de actividades lúdico – pedagógicas com crianças portadoras de H.I.V. e a realizar acompanhamento psicológico das mesmas.
Estou a trabalhar em conjunto com o psicólogo, responsável por este sector , a quem lhe presto alguma formação de forma individual, devido à sua solicitação para para aprender a fazer planificações de actividades e dinamização de actividades com crianças.
Ainda no Centro de Saúde, estou a trabalhar no Centro Nutricional Maria da Paixão. Esta valância destina-se a apoiar crianças subnutridas e doentes com 3 refeições ( para maioria destas crianças, estas são as suas únicas refeições). Situações de extrema pobreza, muitas destas crianças encontram-se a fazer tratamento retro-viral (HIV), familias destruturadas em que nenhum membro da familia consegue arranjar emprego ou qualquer tipo de subsídeo, em que muitos ou o pai ou a mãe, já faleceram. Mamãs que deixam os outros irmãos mais velhos de 7 ou 8 anos a cuidar dos mais novos sozinhos, outros são trazidos pelos guerreiros vovós que mesmo debilitados ao ponto máximo não têm outra solução...
Cada vida uma dura história, mas mesmo assim, as mamãs e vovós ainda têm o brilhar da esperança nos seus olhos, ainda conseguem sorrir. O centro está organizado de forma a que sejam os próprios a fazer comida, a tratar da horta do centro e a fazer as limpezas do mesmo. A primeira refeição é às 8 e a última só às 13h, pelo que até lá, têm de fazer as tarefas diárias e ainda lhes sobra muito tempo livre. Perante a vontade de aprender, em participar, de acordo com as necessidades e as referências de quem está a gerir, eu e a minha colega criamos um plano de actividades adequadas. Desta forma, iniciamos a Hora do Conto, partilha de histórias, contos, adivinhas, ditos populares moçambicanos; Hora do Filme, pois como gostavam muito de filmes e estavam sempre ver televisão, filmes de violência, optamos por colocar filmes educativos que também dá para as crianças verem;Alfabetização para os adultos e Hora do Desenho para os mais pequenos; Ateliers de costura e ateliers de cozinha, estes dois ateliers já tinham funcionado em tempos, mas tinham caído. Visto que as mamãs se encontram todas desempregadas, torna-se útil poderem aprender não só para fazer em casa, mas também para uma possivel venda para fora. No atelier de culinária, são feitos todos os dias bolinhos fritos de côco (tipicos de Moçambique e que saem muito bem e são de baixo custo) para vender no Centro Social, de forma a criar uma receita maior para o Centro Nutricional para poder abranger mais crianças, em simultâneo de uma forma informal e prática vamos dando algumas noções para a gestão e economia do Lar. Este plano de actividades está a resultar muito bem, pois as mamãs são muito participativas e têm vontade de aprender. Ao criar toda esta dinãmica, responsabilizamos os funcionários do centro para iniciar cada actividade e para além disso colocamos algumas mamãs a liderar juntamente com estes, de modo a que haja uma continuidade/sustentabilidade após a minha saída.

Também trabalho no Jardim Infantil da Manga. Foi solicitada ajuda nas actividades infantis e a solução mais apropriada que encontramos, foi prestar uma capacitação aos educadores de Infância, sendo melhor directamente com eles, pois são os mesmos que estão com as crianças durante todo o ano. Realidade carente, muitos dos educadores não chegam a ter o 7º ano e 2caixas de lápis para 80 crianças e um tubo de cola quase no fim, não é fácil. Iniciamos então uma formação sobre “Desenvolvimento e aprendizagem na criança e técnicas de Animação” de forma a abordar alguns temas importantes dobre o desenvolvimento da criança, actividades e como construir e reaproveitar materiais. Em Novembro ficou acordado que lhes iriei dar uma formação sobre Equipas e Liderança.
Faço o acompanhamento escolar do 7º ao 12º ano às meninas do Internato PIU X e dou-lhes formação básica em TIC (Tecnicas de Informação e Comunicação) a jovens que nunca tinham tinham tido contacto com computadores. Também estou a dar formação às Irmãs responsáveis de modo a que quando eu me vá embora, possam ensinar as meninas que entram nos anos seguintes. Até esta experiência no Internato está a ser interessante. Mundos e realidades completamente diferentes que nem nos passam pela cabeça...
Dois fins-de-semana por mês, colaboro nos Projectos de apadrinhamento “Bring a Smile” e CCS Itália, na distribuição de alimentos e bens primários a familias carenciadas. De acordo com aquilo que aprendi com a observação deste tipo de projectos e devido às duras necessidades sentidas estou a desenhar um projecto de Apadrinhamento de Crianças Carênciadas através da distribuição de alimentos, para quem ainda não está abrangido.

Muito por fazer... É preciso dedicarmo-nos de corpo e alma... Deixar a semente...
...Só quero que o nosso trabalho seja o motor de arranque e que após a minha saída o motor continue a acelerar cada vez mais...

Apesar de nem sempre ser fácil, esta é a minha essência, aqui sinto a verdadeira Educação Social, a educação para o amor, em cada coisa que faço...

... Experiência que nos preenche a alma e o coração. Sinto-me mais a receber do que a dar, pois não há palavras para tanto que esta gente me dá... saio daqui muito mais rica...

... Porque apesar de haver a noite, há sempre o brilhante nascer do Sol, o nascer de uma esperança, o nascer de um novo dia...

Daniela Luz

Desafios sociais em Itália

Fascínio por viajar, conhecer novas mentalidades, realidades e culturas, vontade de crescer e aprender mais. São estes alguns dos motivos que me fizeram tomar uma atitude e concorrer ao Programa “Leonardo Da Vinci”, rumo a Itália.

Para vos explicitar, “Leonardo Da Vinci” trata-se de um programa comunitário de mobilidade que visa promover a inovação e novas formas de emprego para jovens, a nível europeu. Concorri como Educadora Social através da Associação “Rota Jovem” e passei às várias selecções e iniciei assim esta experiência em Fevereiro.
Felicíssima e ansiosa pelo novo desafio, fiquei no norte de Itália, Pádua, perto de Veneza, uma cidade repleta de história, inspirada pela arquitectura veneziana, sendo notoriamente cultural e artística, sendo uma cidade universitária, onde o Galileu Galilei leccionava.
O primeiro mês foi o mês cultural onde nos foi dado uma bolsa para conhecermos melhor a cultura italiana (gastronomia, viagens, museus, exposições) e serviu também para fazer o curso de língua italiana.
Após esse mês, comecei a trabalhar como Educadora Social numa cooperativa social de carácter educativo com uma equipa de psicólogos, onde prestávamos apoio educativo e escolar a crianças dos 6 aos 14 anos que necessitam de métodos e de incentivo ao estudo, desenvolvendo também laboratórios lúdico-pedagógicos (trabalhos manuais, teatro, música, cozinha, trabalhos em madeira), trabalhávamos estreitamente com os pais das crianças em questão, fazendo atendimentos individuais com estes e organizando formações de forma a promover o relacionamento entre pais, filhos e escola.
Ao iniciar as férias escolares iniciamos actividade no Centro para Tempos livres com desporto e laboratórios, pelo qual tive a oportunidade de desenvolver um laboratório sobre Portugal. Neste laboratório dei a conhecer Portugal de uma forma dinâmica e participativa, onde a bandeira portuguesa foi alçada, muitas lendas foram contadas e representadas, muitas caravelas portuguesas foram pintadas, danças, jogos tradicionais e ainda confecção de doces portugueses.
Todo o trabalho foi bastante enriquecedor, mas o laboratório de Portugal deu-me um prazer particular, pois gosto bastante de dar a conhecer também o nosso país e as crianças demosntraram-se sempre muito receptivas e interessadas em aprender mais.
Efectivamente, esta experiência profissional permitiu-me adquirir e trocar conhecimentos sobre diferentes e novos métodos com uma equipa inovadora, e sobretudo por ser num outro país com uma cultura e hábitos diferentes, a dificuldade aumentou mas o desafio e a aprendizagem também.
Nem sempre foi fácil, por exemplo o factor língua, que tive que aprender obrigatoriamente para poder trabalhar, o facto de algumas pessoas no verem como estrangeiros, mas fazem parte de todo um processo e que temos de saber contornar estes obstáculos.
Todo este projecto fez-me evoluir muito a nível pessoal, adaptar-me aos hábitos italianos, que de certa forma me agradaram bastante. Aproveitava os fins-de-semana para viajar e cidades com notáveis marcas históricas. Não posso deixar de mencionar o excelente convívio com o povo italian que é muito similar ao português... a troca de experiências , o verdaeiro sentido do intercâmbio … amizades e pessoas que nos marcam … tudo isto já me deixa saudade!

Deixo assim a mensagem para os jovens com vontade de viajar e que procurem outras oportunidades de trabalho, para pesquisarem e se informarem e porem a mochila às costas rumo aos sonhos e à aventura, pois tal como Fernando Pessoa mencionava “Somos do tamanho dos nossos sonhos”.

Julho de 2010
Daniela Luz

Experiências

Nao podia deixar de partilhar convosco esta forte experiencia e o quanto o nosso curso me faz viver feliz... Após a conclusao do projecto Leonardo Da Vinci em Italia, vim realizar o meu sonho: cooperacao para o desenvolvimento em Mocambique, Beira, aldeia da Manga...prestar o meu servico voluntariamente a comunidade... Estou ca ha um mes e meio e regresso a Portugal no Natal!
Uma forte e grande experiencia, a minha essencia... Ja Paulo Freire dizia "Educação não transforma o mundo. Educação muda pessoas. Pessoas transformam o mundo" e e nisto que acredito e luto.
Envio-vos entao, dois documentos que elaborei de forma a partilhar as enriquecedoras experiencias, a de Italia e a de agora, Mocambique.

Daniela Luz

quarta-feira, 14 de Julho de 2010

Novo ano lectivo, novo director de Curso

Final de ano lectivo, final de um ciclo.
Não quero continuar como director do Curso de Educação Social.
Foi uma experiência demasiado longa. Desde 2003 que sou director de Curso, exceptuando um ano de interrupção.
É altura de encerrrar um ciclo, não por cansaço, por desmotivação, ou qualquer outra razão, mas porque percebi que é tempo de mudar de página.
A partir de Setembro haverá um novo director no Curso de Educação Social.
A todos os alunos, alunas, técnicos, entidades, instituições parceiras que participaram em actividades do Curso, que desenvolveram projectos em parceria, que colaboraram com o Curso de Educação e Intervenção Comunitária e com o Curso de Educação Social, nos últimos três anos, o meu muito Obrigado.
Joaquim do Arco (Joca)

segunda-feira, 5 de Julho de 2010

Oferta de Estágio Profissional ISU - Lisboa

O Centro de Formação para o Voluntariado do ISU - Instituto de Solidariedade e Cooperação Universitária procura com urgência um(a) a colaborador(a) para estágio profissional já aprovado pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional, com actividade a iniciar a partir de Agosto de 2010.

Todos os interessados que correspondam ao perfil deverão enviar o seu C.V. e Carta de Apresentação / Motivação até próxima quinta-feira, dia 1 de Julho, através do e-mail abaixo indicado.

INFO:
cfv@isu.pt / 213 957 831
Responsável: Luciana Almeida
(sujeito a pré-selecção)

Cumprimentos,

Luciana Almeida
Coord. Centro de Formação para o Voluntariado
ISU - Instituto de Solidariedade e Cooperação Universitária
Travessa do Possolo, nº11, 3º drt.
1350-252 Lisboa Portugal

Tel: +351 213957831
Fax: +351 213907206
e-mail: cfv@isu.pt

sexta-feira, 18 de Junho de 2010

Eu estive lá...

Foi bonito de ver...parabéns à Sara,Aurora, Vânia pelo excelente trabalho na organização do E-Motion Social. Houve animação, houve dança, houve formação, houve o teatro do Oprimido, houve o Jantar Partilhado.Foi bonito ver o convívio, ver algum sentido de espírito de curso, ver alunos e alunas do 2º e 3º ano do Curso participando no teatro do oprimido, ver a Profª Elsa e a Profª Ana Baião em alegre "cavaqueira" com alunas do curso.
Foram 12 h de actividades...que culminaram com o jantar partilhado.
E que jantar! As alunas primaram pela diversidade e pela qualidade. Boa comida, muito doce e muita bebida. Não faltou nada..
Podia ter sido mais bonito ainda? Não sei...
Podia ter sido mais participado? Talvez...
Faltou o 1º ano? Faltou...
Faltou o 1º ano Pos-laboral? Faltou. Tinha uma frequência...
Valeu a pena? Valeu mesmo...foi uma excelente forma de encerrar o ano lectivo.
Mais uma vez os parabéns à Sara, Vânia e Aurora do núcelo do Algarve do Instituto Paulo Freire de Portugal pelo excelente trabalho de organização.
Agradecemos também a todos os que dinamizaram e participaram nos workshops, assim como o nosso agradecimento à Direcção da ESEC que apoiou a inicitaiva.
Para o ano há mais? Esperemos que sim.
(Joca)

quarta-feira, 9 de Junho de 2010